26 e 27 de Outubro de 2017 Resende – Rio de Janeiro. TEMA: Ética e Gestão. Juntas por um crescimento sustentável. Desde 13 de março é possível enviar artigos para o XIV Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia.

A DATA LIMITE PARA O ENVIO DOS ARTIGOS É 13 DE JUNHO DE 2017.

Acesse www.aedb.br/seget para mais informações.

Visitas Técnicas! INB – Industrias Nucleares do Brasil. PNI – Parque Nacional do Itatiaia.

As inscrições para as visitas técnicas estarão disponíveis a partir de 22 de agosto de 2017.

Datas Importantes

1 Realização do Evento: 26 e 27 de Outubro de 2017.

Período de Submissão de Artigos: 13/03/2017 à 13/06/2017.

Divulgação dos Trabalhos Aprovados: 22/08/2017. Inscrições no Evento (Participantes com Trabalhos Aprovados): 22/08/2017 à 08/09/2017.

Inscrições no Evento (Participantes sem Trabalhos Aprovados): 22/08/2017 à 20/10/2017.

Disponibilização da Programação Geral: 06/10/2017.

Concilie o Evento ao Potencial Turístico da Região. Participe do XIV SEGeT e aproveite para conhecer o turismo da Região da Serra da Mantiqueira, visitando lugares encantadores tais como Penedo, Visconde de Mauá e Itatiaia. Nesses locais, o visitante encontra uma natureza exuberante, cachoeiras de tirar o fôlego e ótimos lugares para a prática de escalada. Além do Parque Nacional de Itatiaia, a região conta ainda com outros destinos turísticos, como a Usina Hidrelétrica do Funil, a Colônia Finlandesa de Penedo, o Pico das Agulhas Negras e as vilas de Maromba e Maringá, ambas em Visconde de Mauá. ​​ ​

Participe!

Convidamos você a participar desse relevante evento científico, enviando um ou mais artigos relacionados a uma das seguintes áreas temáticas:

AC – Automação e Controle AE – Administração Estratégica AP – Administração da Produção CM – Comunicação e Mercado ED – Gestão e Tecnologia na Educação EG – Estatística e Gestão EP – Estruturas e Processos Organizacionais GE – Gestão Econômica e Financeira GP – Gestão de Pessoas LG – Logística ME – Marketing Empresarial PO – Pesquisa Operacional RS – Responsabilidade Social e Ambiental TA – Tecnologia de Produção Automotiva TI – Tecnologia da Informação.

A submissão será através do site: www.aedb.br/ssa, até o dia 13/06/2017.

Premiação dos Melhores Trabalhos. Os autores dos três melhores trabalhos na categoria Apresentação Oral serão premiados, desde que pelo menos um dos autores esteja presente na solenidade de premiação e que o trabalho tenha sido apresentado no evento.

Informações adicionais poderão ser obtidas no portal www.aedb.br/seget, no endereço eletrônico seget@aedb.br ou pelo telefone (24) 3383.9052, de 2ª feira a 6ª feira, das 9h às 12h.

Início

Local

Salão Nobre (1º andar, bloco E)
Responsáveis

Profa. Dra. Debora Cristina Jeffrey (FE-Unicamp), Profa. Dra. Ana Eliza Spaolonzi de Assis (FE-Unicamp)
Realização

Coordenação do Curso de Pedagogia da FE-Unicamp

Programação

08/05/2017 – segunda-feira

9h às 10h – Apresentação: Síntese sobre Organização, Estrutura e novas demandas do curso de Licenciatura em Pedagogia da FE / Unicamp (Comissão de Graduação / FE)

10h às 12h – GTs eixos de análise
– Eixo 1 – Princípios e diretrizes do Curso de Licenciatura em Pedagogia da FE/Unicamp
– Eixo 2 – Gestão do Projeto Político Pedagógico do Curso de Licenciatura em Pedagogia da FE/Unicamp
Coordenação: Profa. Ana Elisa Spaolonzi, Profa. Débora Jeffrey, Profa. Alik Wunder e Profa. Fabiana Rodrigues

12h às 14h – intervalo

14h às 18h – Mesa Redonda e debate: “Princípios e Diretrizes dos Cursos de Licenciatura em Pedagogia”
Prof. Luiz Dourado / CNE
Profa. Bernadete Gatti / CEE-SP

18h às 19h – intervalo

19h às 22 h – Mesa Redonda e debate: “Gestão do Projeto Político Pedagógico do Curso de Licenciatura em Pedagogia da FE/Unicamp”
Profa. Maria do Carmo Martins
Profa. Angela Soligo
Profa. Maria Márcia Malavasi
Profa. Dirce Djanira Pacheco e Zan

09/05/2017, terça-feira

9h às 12h – GTs eixos de análise
– Eixo 3 – Organização, Estrutura e Novas Demandas do Curso de Licenciatura em Pedagogia da FE/Unicamp
Coordenação: Prof. Pedro Ganzeli e Profa Gabriela Tebet, Profa. Alik Wunder

12h às 14h – intervalo

14h às 15h30 – Apresentação dos relatores: GT eixos de análise

15h30 às 18h – Debate: Propostas e demandas para o Curso de Pedagogia
Apresentação da problematização dos Departamentos (chefes ou indicados) e Movimento Estudantil.

17h às 18h30 – Encaminhamentos (Comissão de Graduação)

19h – Encerramento: “Roda de Conversa e Toré com grupo Sabuká Kariri-Xocó”
Ciclo de oficina Educação em Múltiplas Linguagens (Gramado do Anexo I). Acesso ao evento em  https://www.sympla.com.br/seminario-do-curso-de-pedagogia__136584

Faculdade de Educação da Unicamp

Acesso em https://www.fe.unicamp.br/

Em artigo publicado nesta quarta (19/4), o reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Roberto Leher, faz um convite para a participação na Marcha pela Ciência e analisa a conjuntura política e econômica do país. O evento mundial terá sua edição no Museu Nacional da UFRJ no próximo sábado, das 10h às 14h, na Quinta da Boa Vista, e tem apoio nacional da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC).

foto: Diogo Vasconcellos – CoordCOM/UFRJ

Confira a íntegra do texto:

Marcha pela Ciência: um gesto contra a ofensiva irracionalista no mundo

O Brasil caminha na contramão do que seria a melhor estratégia para enfrentar uma crise econômica: investir em conhecimento científico, pesquisa e inovação. Não nos faltam exemplos de povos que também passaram por momentos dramáticos nesse sentido, mas que apostaram no fortalecimento das universidades, dos institutos públicos de pesquisa e do aparato de Ciência e Tecnologia, por meio dos blocos de poder que se reconfiguravam no calor das lutas sociais.

Foi assim no contexto da Revolução Francesa, em que as grandes Écoles e universidades foram apoiadas vigorosamente; na criação da Universidade de Berlim, que se deu em um contexto de severa crise e de guerra; e na crise de 1929, em que a universidade estadunidense foi ampliada progressivamente e a pesquisa foi fortalecida com forte apoio estatal. Países como a China respondem à crise econômica mundial com mais investimentos em ciência.

O dramático quadro da economia no Brasil ganhou novos contornos com o agravamento da crise política. Como corolário, é tomado ainda por uma tectônica crise de legitimidade do Executivo, da grande maioria do Legislativo, de setores do Judiciário e de vastos segmentos da grande imprensa.

Diante de um contexto tão desolador, em que o futuro torna-se carregado de incertezas, decisões erradas podem comprometer de modo duradouro o porvir. Entre as muitas decisões que estão sendo tomadas contra os direitos humanos, é preciso destacar a desregulamentação e a flexibilização dos direitos trabalhistas, a inviabilização do sistema previdenciário, em prol da previdência por capitalização vinculada aos bancos, e o estrangulamento dos recursos para as universidades e os órgãos de fomento.

Embora aparentemente desconexas, as medidas que rebaixam os direitos do trabalho evidenciam que o país estará cada vez mais inserido em circuitos produtivos baseados nas atividades laborais simples, prescindindo, por isso, de um robusto sistema universitário e de ciência e tecnologia.

A planilha orçamentária das universidades federais em 2017 é 13% inferior ao já exíguo orçamento de 2016, ano em que muitas universidades não puderam pagar suas contas básicas. Os cortes e contingenciamentos efetuados no Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) em 2017 tornam o seu orçamento equivalente a menos da metade do existente em 2005, e ainda com o agravante de que a ciência cresceu de modo importante e o ministério não incluía a área da Comunicação: é devastador.

E novos contingenciamentos rondam as universidades e os laboratórios e grupos de pesquisa. A rigor, conforme as previsões oficiais, em 2017 e 2018 não haverá recursos novos para pesquisa, descontinuando investigações e grupos de pesquisa, em domínios cruciais como arboviroses, energia, agricultura, saúde, educação e cultura. A retomada não será simples.

São muitos os motivos que devem levar a sociedade a apoiar a Marcha pela Ciência, no próximo dia 22 de abril. Mais de 500 cidades do mundo inteiro estão mobilizadas para defender uma produção científica independente e indispensável para a vida dos povos. No Rio de Janeiro, a manifestação acontecerá no Museu Nacional da UFRJ e nossas universidades, professores, estudantes, técnicos-administrativos e demais trabalhadores devem se animar a participar do movimento.

Essa manifestação entusiasmada e crescente é inspiradora e enche de esperança os que se dedicam de corpo e alma à ciência, à tecnologia, à arte e à cultura. Além da luta contra o desmonte da universidade e da pesquisa, é um gesto contra a ofensiva irracionalista que insiste em turvar o futuro das nações. É fundamental que todos apoiem e participem das atividades e, também, das outras manifestações públicas programadas pelos setores democráticos em prol dos direitos sociais e, em particular, do desenvolvimento da imaginação criadora das crianças e jovens que protagonizam a vitalidade das instituições educacionais!

Roberto Leher
Reitor da  UFRJ
Fonte: Assessoria de Imprensa do Gabinete do Reitor

 

 

Implantado em 2013, o curso de Ciências Contábeis oferecido pela Associação Educacional Dom Bosco – AEDB acaba de ser reconhecido pelo Ministério de Educação – MEC, depois de ser muito bem conceituado pela Comissão de Avaliação desse Ministério, que conferiu ao curso nota 4, numa escala de 1 a 5. Com duração de 4 anos, o curso de Ciências Contábeis forma o contabilista, profissional apto a atuar em empresas de qualquer natureza, nas funções de contador geral, gerencial e de custos, auditor, controller, perito e gerente financeiro. O curso de Ciências Contábeis tem por objetivo formar profissionais com postura gerencial, para atuação no vasto campo de aplicação da Contabilidade, seja em entidades públicas ou privadas. Nesse sentido, o curso tem como objetivo geral formar profissionais e pesquisadores com capacidade crítico-analítica, visando o contínuo aperfeiçoamento da qualidade de vida da sociedade brasileira, através da produção e disseminação de conhecimentos nas áreas específicas de mensuração contábil e de modelos de gestão econômica. Pela natureza do serviço que presta, o mercado de trabalho para o contabilista é muito amplo. Além de poder abrir seu próprio escritório de contabilidade, o profissional formado em Ciências Contábeis pode trabalhar em escritórios que prestam consultoria na área tributária para instituições financeiras multinacionais e para toda e qualquer empresa industrial, comercial ou prestadora de serviço. No final de 2016, colou grau a primeira turma de contabilistas formada pela AEDB. O curso tem sido muito procurado pelos estudantes de Resende e da região.

Fonte: Virginia– AEDB/NIC – Ass.Imprensa.  http://www.aedb.br/graduacao/ciencias-contabeis/

Thais Giglio Cordeiro* 

Devido a existência do grande número de pacientes amputados em diversas regiões do Estado do Rio de Janeiro e do país, este estudo apresnta também um meio para esclarecer  ao leigo, ao estudante e aos profissionais interessados, as etapas para a protetização do paciente amputado.

Observa-se nesse contexto, que o paciente inicia o tratamento logo após a  ocorrência  da amputação, denominada fase pré-protética  que será importante para que o coto se prepare para a colocação da prótese.

Este artigo procura esclarecer de uma maneira inicial, as informações relevantes para o processo de protetização do paciente amputado, considerando, as dificuldades e esforços enfrentados pelo paciente, bem como das fases  de gerais da reabilitação.

Foram selecionados como referenciais teóricos, alguns autores,  trabalhos acadêmicos e artigos nas bases de dados do sites mais utilizados como do Google acadêmico e Pubmed, e, de informações encontradas nos livros “Tratamento do Paciente com Amputação”, “Amputações de Membros Inferiores: em Busca da Plena Reabilitação”.

Também considerou-se relevante a leitura de “Fisioterapia – Avaliação e Tratamento” para o estudo e revisão do artigo em questão. Os resultados que serão apresentados no contexto do artigo, definem a importância da participação do paciente em todas as etapas, e a equivalência da atuação profissional do fisioterapeuta responsável pelas fases de pré-protetização, marcha e protetização.

Ficará evidente que em todas as etapas do processo de protetização será fundamental a participação do paciente  e do fisioterapeuta para uma reabilitação bem sucedida.

Thais Giglio Cordeiro

Fisioterapeuta graduada pela UFRJ

 Pós Graduação Master em Traumato Ortopedia e Desportiva.

Quem disse que arte e tecnologia não podem andar de mãos dadas? Para provar que esses dois temas têm tudo a ver um com o outro, a Pinacoteca de São Paulo estreou uma nova exposição em parceria com a IBM. Chamado de A Voz da Arte, o projeto recorre ao popular Watson, ferramenta de inteligência artificial, para informar os visitantes a respeito das obras expostas no local de um jeito bem mais interessante e interativo.

Inteligência artificial da IBM

PraCegoVer: menina com fones de ouvido em frente a uma obra de arte – usa o software A Voz da Arte: software de inteligência artificial da IBM na Pinacoteca de São Paulo.

De acordo com um comunicado da empresa de tecnologia, que completa seus 100 anos no Brasil –, educadores e curadores selecionaram algumas das peças do acervo do museu e alimentaram o sistema de inteligência artificial da IBM com uma infinidade de informações a respeito de autores, contexto histórico e curiosidades do mundo da arte. O resultado disso? Uma proximidade maior do público com quadros e esculturas, que se tornam mais interessantes e acessíveis por conta do conteúdo extra apresentado ao longo do passeio.

Segundo estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) realizado em 2010, 70% dos brasileiros nunca foram a um museu ou a um centro cultural. O projeto pretende utilizar a inteligência artificial como uma importante ferramenta para proporcionar aos visitantes uma experiência diferente no contato com as obras selecionadas, buscando contribuir para o aumento do interesse dos brasileiros pela arte. A ideia é despertar a curiosidade do público sobre o que pode estar por trás das obras, estimulando as pessoas a conhecerem mais as peças e seu contexto histórico.

Ao todo, foram necessários seis meses de “aulas” para que o Watson, denominação da ferramenta de inteligência artificial da IBM, compreendesse o assunto e se tornasse apto a tirar as dúvidas dos convidados da Pinacoteca paulistana. “Partindo desse rico conteúdo, utilizamos as APIs de entendimento de linguagem natural e sistema de voz disponíveis no IBM Bluemix em conjunto com as capacidades cognitivas de aprendizado do Watson e criamos uma experiência simples, intuitiva e acessível”, explicou a companhia em seu site.

“Em um mundo tão tecnológico, os museus não poderiam ficar para trás. A Pinacoteca está sempre se reinventando e criando estratégias para falar com seus públicos. A parceria entre a Pinacoteca e a IBM representa esse esforço, que resultou em uma ação inédita, interativa e acessível”, disse Paulo Vicelli, diretor de relações institucionais da Pinacoteca de São Paulo.

Para que o usuário possa fazer parte dessa experiência, o museu vai disponibilizar na entrada da exposição um dispositivo eletrônico com o aplicativo que complementa A Voz da Arte. A partir daí, basta caminhar pelo espaço para receber notificações sempre que você estiver próximo a uma das obras interativas, com o app abrindo espaço para perguntas sobre o item – com toda a interação sendo realizada por áudio e voz e inteiramente em português. (. Além de fazer a descrição em áudio das obras para deficientes visuais, a interação também pode se dar na forma de chat escrito para deficientes auditivos.

Ao todo, o Watson responde perguntas sobre sete obras do acervo da Pinacoteca, são elas: Mestiço, de Cândido Portinari (1934); Saudade, de Almeida Junior (1899); Ventania, de Antonio Parreiras (1888); São Paulo, de Tarsila do Amaral (1924); O Porco, de Nelson Leirner (1967); Bananal, de Lasar Segall (1927); e Lindonéia, a Gioconda do subúrbio, de Rubens Gerchman (1966). O sistema de inteligência artificial aplicada a interatividade em obras de arte foi desenvolvido pela IBM Brasil e treinado em parceria com curadores da Pinacoteca.

Sobre a inteligência artificial ou Computação Cognitiva: A computação cognitiva é considerada a Terceira Era Computacional, cujo maior objetivo é aumentar a capacidade cognitiva do ser humano. Seus sistemas reproduzem com certa semelhança a forma humana de pensar, interagir e aprender, extraindo conhecimento de dados não-estruturados – com fontes e formatos distintos como textos, imagens e vídeos. Os insights gerados podem contribuir para a solução de problemas complexos da humanidade e das empresas.

Demonstração  da IBM na Pinacoteca de São Paulo

Serviço

O projeto A Voz da Arte fica disponível para os visitantes da Pinacoteca até o dia 5 de junho e pode ser conferido de quarta a segunda, das 10h às 17h, na Praça da Luz, 2. O preço integral dos ingressos fica em R$ 6, enquanto a meia para estudantes, crianças e idosos custa apenas R$ 3. Vale notar que, aos sábados, a entrada é completamente gratuita.

ORIGEM: IBM Brasil

Fonte: Fonte: Blog da Audiodescrição.

Acesso em http://www.blogdaaudiodescricao.com.br/2017/04/inteligencia-artificial.html?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+BlogDaAudiodescricao+%28Blog+da+Audiodescri%C3%A7%C3%A3o%29

Instituto de Economia da UFRJ

Publicado: abril 12, 2017 em Uncategorized

Educaedu Brasil

Instituto de Economia da UFRJ

“O Instituto de Economia (IE) é uma unidade de ensino e pesquisa da Universidade Federal do Rio de Janeiro vinculada ao Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas (CCJE).”

Pós-Graduações: Presencial Rio de Janeiro

Curso de Pós-Graduação MBE em Economia e Gestão da Sustentabilidade
+ INFO
Curso de Pós-Graduação MBE Economia e Gestão da Sustentabilidade na Construção Civil
+ INFO
Curso de Pós-Graduação MBE em Responsabilidade Social e Terceiro Setor
+ INFO
Curso de Pós-Graduação MBE em Turismo: Economia, Gestão e Cultura
+ INFO

Além disso, temos muito mais cursos de seu interesse em nossa web

¡DESCUBRA-OS!
Logo Educaedu Brasil
Grupo Educaedu Brasil