Pesquisadores brasileiros poderão desenvolver estudos na Alemanha: Jornal da Educação / IPAE.

Publicado: outubro 4, 2014 em Uncategorized

Pesquisadores brasileiros poderão desenvolver estudos na Alemanha:

Universidades da Alemanha estão disponibilizando até 15 vagas para bolsistas brasileiros. Os pesquisadores interessados em realizar estudos acadêmicos em instituições do país europeu podem se inscrever no programa Bolsas para Pesquisa Capes/Humboldt, que concede bolsas nas modalidades de pós-doutorado e pesquisador experiente. O programa é uma iniciativa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), em cooperação com a Fundação Alexander Von Humboldt, daquele país.
O prazo de inscrição vai até 31 de dezembro, com atividades iniciando em julho ou agosto de 2015. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas exclusivamente pela internet, por meio do preenchimento de formulários e o envio de documentos na página do programa.
Serão concedidas bolsas para pesquisa nas modalidades de pós-doutorado, para pesquisador em início da carreira acadêmica, que tenha completado seu doutorado há menos de quatro anos, e de pesquisador experiente, para acadêmico com um perfil de pesquisa definido, com no mínimo quatro anos de doutorado e que tenha completado seu doutorado há menos de 12 anos.
As pesquisas serão realizadas em cooperação com os anfitriões acadêmicos em instituições da Alemanha. Os candidatos vão escolher o tema dos estudos no país europeu. Os selecionados receberão uma bolsa mensal, além de auxílios deslocamento, instalação e seguro saúde. A duração pode variar de seis meses a três anos. As inscrições devem ser feitas na página da Fundação Alexander Von Humboldt, na internet.
(IPAE 021 – 10/14).

MEC lança edital para abertura de cinco polos de inovação em institutos federais de educação, ciência e tecnologia:

A Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do Ministério da Educação, em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, abriu processo seletivo para a instalação de cinco polos de inovação em institutos federais de educação, ciência e tecnologia. O instituto deve propor projeto de inovação com potencial de desenvolvimento em empresa do setor industrial, com a área de competência definida e que se enquadre nas normas e nos critérios exigidos pelo manual de operação dos polos da Embrapii.
Cada unidade pode apresentar uma proposta, com plano de ação que contenha a expectativa da captação de projetos de inovação, oportunidades estratégicas de atuação e potencial econômico.
A chamada pública do processo seletivo contempla duas modalidades de trabalho. A primeira, Polo Embrapii–IF, prevê atuação durante seis anos, sem limite predefinido de financiamento. O investimento econômico será de um terço do valor total do projeto por parte da Embrapii e outro terço das empresas parceiras. A participação dos institutos federais pode ou não ter caráter financeiro. Na segunda modalidade, os polos Embrapii–IF em estruturação terão o período de três anos e limite máximo de financiamento por parte da Embrapii.
O instituto disposto a participar da seleção deve encaminhar carta de interesse ao endereço eletrônico chamada02_2014@embrapii.org.br até o dia 24 próximo. O resultado preliminar da seleção será divulgado em 2 de março de 2015, na página da Embrapii na internet.
(IPAE 017 – 10/14).

Estudo alerta para escolas rurais em condições precárias:

Um estudo divulgado pelo Instituto CNA, ligado à Conferência da Agricultura e Pecuária do Brasil, aponta que o país possui 508 escolas rurais sem condições de infraestrutura, baixa aprovação e alta evasão.
A maior parte dessas instituições fica nas regiões Norte e Nordeste. O levantamento analisou os dados do Censo Escolar de 2012. O estudo aponta que essas escolas que não possuem biblioteca, computador, TV, antena parabólica, videocassete, DVD, água filtrada, saneamento básico ou eletricidade. O índice de reprovação chega a quase 40% e a evasão é de 23%. Enquanto isso, a média do país é de 83% de aprovação e o abandono fica em quase 4% no ensino fundamental e 10% no ensino médio.
Apesar do número alarmante, o levantamento destaca que as escolas nessas condições não representam a maioria dos colégios públicos rurais. Até 2012, o Brasil contabilizava mais de 75 mil instituições de ensino rurais.
(IPAE 018 – 10/14).

Informativos do IPAE facilitam o trabalho dos dirigentes educacionais:

O Instituto de Pesquisas e Administração da Educação edita uma série de periódicos educacionais que ajudam a manter os dirigentes e educadores sempre atualizados sobre as principais notícias da educação no Brasil e no mundo.
Ao todo, são onze publicações. Entre elas, destacamos os três informativos mensais. O Informativo do Ensino Superior, Informativo Jurídico-Educacional e o Informativo da Educação Municipal.
Eles trazem sempre as principais leis, portarias, resoluções do Conselho Nacional de Educação e outras decisões que interferem diretamente no trabalho dos dirigentes educacionais.
Para conhecer mais sobres estas obras e saber como adquiri-las, acesse os links acima.

(IPAE 019 – 10/14).

As propostas dos presidenciáveis para a Educação: candidatos minoritários nas pesquisas:

O Jornal da Educação encerra hoje a série com as propostas para a educação, dos candidatos a presidente da República. Nesta edição, a última antes das eleições do próximo domingo, 5, apresentamos os principais projetos disponíveis nos programas de campanha dos candidatos Eymael (PSDC), Mauro Iasi (PCB), Rui Costa Pimenta (PCO) e Zé Maria (PSTU).
Candidato pel PSDC, Eymael promete priorizar a educação. Entre as promessas estão investimentos para que o ensino fundamental do país se enquadre nas recomendações da Organização das Nações Unidas e a defesa da educação inclusiva. Ele afirma que vai informatizar as escolas, promover o ensino integral e ampliar a oferta decursos técnicos e profissionalizantes. O candidato pretende também incluir a disciplina Educação Moral e Cívica no currículo do ensino fundamental. A valorização das carreiras de profissionais de educação e o incentivo à municipalização do ensino também estão no programa de Eymael.
Já Mauro Iasi (PCB) defende a educação pública, gratuita e de qualidade em todos os níveis. Segundo ele, as recentes decisões políticas sucatearam o sistema educacional. Iasi defende a “desmercantilização” imediata do setor, assim como o de áreas como a saúde, a moradia, os transportes “que devem se tornar imediatamente públicos através de processos de estatização com controle popular”.
O candidato Rui Costa Pimenta (PCO) quer priorizar o ensino público, gratuito, laico e de qualidade para todos, em todos os níveis. Ele candidato defende a estatização das escolas privadas e o fim da municipalização do ensino. Pimenta quer garantir a autonomia escolar tanto na questão educacional quanto na área política e administrativa e colocar as escolas sob o controle da comunidade. Pimenta promete ainda reabrir todas as escolas e salas de aulas fechadas, acabar com a “aprovação automática”, reduzir o número de alunos por sala e fixar um piso salarial que atenda às necessidades do professor e de sua família “que hoje não poderia ser de menos de R$ 5 mil”.
Finalizando, Zé Maria (PSTU quer garantir os 10% do PIB para a educação. O candidato lembra em seu programa de governo que as melhorias nessa área estavam entre as principais reivindicações dos brasileiros que se juntaram às manifestações em junho do ano passado. “Lutamos por 10% do PIB para a educação já, e não em dez anos como prevê o Plano Nacional de Educação do governo”, destaca.
(IPAE 020 – 10/14).


Abertura de capital de escolas particulares:

Os estabelecimentos de ensino mantidos por sociedades comerciais podem se transformar em sociedades anônimas e, com isso, abrirem seu capital com venda de ações.
Há dois sistemas que podem ser adotados. O primeiro é da chamada “venda em balcão”, isto é, negociando-se as ações por meio de corretoras de valores. O segundo é a “venda nas bolsas”, com maior amplitude.A legislação permite que tanto escolas de educação básica, como superior, possam ser com finalidade lucrativa. A decisão cabe exclusivamente aos sócios, não podendo haver restrições pelo Ministério da Educação ou Secretarias Estaduais ou Municipais de Educação.
(IPAE 022 – 10/14).

O ensino da Geografia no Brasil:

O Instituto de Pesquisas e Administração da Educação continua sua série de entrevistas sobre o ensino de diversas áreas da Educação. Hoje conversamos com o professor e consultor do IPAE, Luiz Kelly Martins dos Santos sobre o ensino da Geografia no Brasil.
O professor Kelly começa nos dizendo que cada vez mais a Geografia está se tornando importante em suas avaliações e estudos devido às grandes mudanças sociais e tecnológicas no mundo. E como se trata de uma área com temáticas muito específicas, a tecnologia proporcionou ótimos recursos de busca à informação com reflexos óbvios na sala de aula. No entanto, ele critica ‘o lucro acima de tudo que influencia até na formação dos alunos’. E esse ‘lucro acima de tudo’ revela-se em suas palavras aos desmatamentos na Amazônia, aos grandes fazendeiros que em prol de seus interesses podem trazer grandes malefícios pra sociedade, vide a seca recente em São Paulo. O professor ainda criticou a preocupação excessiva com o ensino superior em detrimento ao ensino básico e pra isso defendeu a federalização do setor. A proposta, inclusive foi levantada no Senado Federal pelo senador Cristóvam Buarque.
Ainda sim, o professor Kelly vê um futuro promissor para a Geografia brasileira e pede mais investimento na formação dos próximos professores.
Ouça a entrevista na íntegra:
Entrevista com o Profº Luiz Kelly Martins dos Santos.

(IPAE 023 – 10/14).

ABMES recebe inscrições para o Concurso Silvio Tendler de Vídeos sobre Responsabilidade Social das IES:

Já estão abertas as inscrições para a 8ª edição do Concurso Silvio Tendler de Vídeos sobre Responsabilidade Social das IES. Todas as instituições que aderiram à campanha da Responsabilidade Social do Ensino Superior Particular, promovida pela Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), podem participar e concorrer ao todo a R$ 10 mil em prêmios.
Os vídeos poderão ser inscritos em até quatro categorias: documentário; cobertura jornalística; vídeo institucional e videoclipe. O vencedor de cada uma delas receberá prêmio no valor de R$ 2,5 mil. A critério da comissão julgadora, poderão ser conferidas ainda menções honrosas no valor de R$ 1 mil.
Em conformidade com o regulamento, é preciso que os vídeos inscritos no Concurso sejam enviados à ABMES (em mídia de DVD) e publicados em uma conta do Youtube sem restrições de acesso. O endereço eletrônico (URL) deve constar na embalagem da mídia.
O Concurso, que teve sua primeira edição em 2007, é um reconhecimento da ABMES às instituições que engajam seu corpo acadêmico na promoção de atividades de responsabilidade social. Em 2013, mais de 600 instituições participaram da campanha, oferecendo em todo Brasil quase 700 mil atendimentos à comunidade.
Para maiores informações, acesse (www.abmes.org.br).

EXPEDIENTE:

Publicação diária do Instituto de Pesquisas e Administração da Educação (enfoca os principais acontecimentos que ocorrem no Brasil e no Mundo na área educacional, sendo as matérias aprofundadas nos Informativos (mensais) e Revistas especializadas (bimestrais) também editadas pelo IPAE ).
Exemplares arquivados na Biblioteca Nacional de acordo com Lei nº 10.944, de 14 de dezembro de 2004 (Lei do Depósito Legal).

ISSN (International Standard Serial Number) nº 0104-9895 conforme registro no Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia – IBICT (Centro Brasileiro do ISSN), vinculado ao Ministério de Ciência e Tecnologia.

Editora do Instituto de Pesquisas e Administração da Educação
cadastrada no ISBN (International Standard Book Number) sob o nº 85927 conforme registro na Biblioteca Nacional.

FICHA CATALOGRÁFICA:

Jornal da Educação – Ano 1 – nº 1 (fevereiro de 1995) – Rio de Janeiro – Instituto de Pesquisas e Administração da Educação (diário).
1. Direito à educação – periódico. I – Instituto de Pesquisas e Administração da Educação – CDU 37.011.001.4.

(http://www.ipae.com.br/logo_final.png).

Prezado leitor: Para ter acesso às edições anteriores do Jornal da Educação, entre em (http://www.ipae.com.br/portal/br/edicoes-anteriores).

Reprodução permitida desde que citada a fonte.

Editor Responsável
– João Roberto Moreira Alves.

Edição e Administração:
Instituto de Pesquisas Avançadas em Educação.
Av. Rio Branco, 156 – Conjunto 1.926 – CEP 20040-901 – Rio de Janeiro – RJ – Brasil.

E-mail: (ipae@ipae.com.br). Acesso em http://www.ipae.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s