Portal Correio – Informativo RH: Segundo Pesquisa somente 81% dos chefes só contratam pessoas com deficiência para cumprir lei.

Publicado: agosto 26, 2014 em Uncategorized

Profissionais de RH acreditam que 93% dos gestores das empresas necessitam se informar melhor para gerenciar e entrevistar uma pessoa com deficiência (PCD) e que 65% desses gestores possuem grande resistência em entrevistar ou contratar profissionais com esse perfil. Esses dados fazem parte de pesquisa inédita realizada pela Catho e iSocial, com apoio da ABRH (Associação Brasileira de Recursos Humanos).

Leia mais Notícias no Portal Correio:

Já para 82% dos que responderam, encontrar candidatos qualificados com deficiência é mais difícil em comparação aos que não possuem deficiência. Embora atualmente o Brasil possua mais de 6 milhões de pessoas com perfil para Lei de Cotas, mas as vagas chegam apenas a 800 mil, um déficit de mais de 5 milhões de pessoas (dados: Unicamp, 2010).

Dessa forma, as fontes mais utilizadas na busca por esse perfil de candidato parecem ser o grande problema, já que a maior parte das empresas buscam profissionais por indicações (58%), ONGs e entidades do terceiro setor (55%) e sites de emprego (50%). Enquanto os candidatos buscam vagas por sites de emprego (84%), consultorias (31%) e indicações (30%).

De acordo com a pesquisa, a principal barreira no recrutamento e seleção de PCDs é a falta de acessibilidade na empresa. 49% dos profissionais de RH que responderam a pesquisa afirmaram que a empresa em que trabalham não possui estrutura física necessária para viabilizar a contratação de um profissional com esse perfil.

Preconceito

E quando o assunto é preconceito, o resultado chega a ser desanimador, já que 60% dos entrevistados acreditam que as pessoas com deficiência sofrem preconceitos no ambiente de trabalho, seja por colegas, gestores ou clientes.

“Há pouca informação sobre o mercado para deficientes. Nós, da iSocial fazemos há três anos pesquisas com o candidato. Agora, poderemos cruzar as informações e tentar com estes resultados melhorar o desempenho nas seleções, identificar demandas e até mesmo descobrir caminhos para aperfeiçoar a legislação”, aposta Jaques Haber, um dos sócios da iSocial.

A pesquisa também levantou a percepção sobre a qualidade das oportunidades oferecidas às pessoas com deficiência. Os números comprovam que a qualidade dessas vagas ainda é muito baixa e, na maioria das vezes, a escolha do candidato não se faz por suas competências, mas por sua deficiência. 74% entendem que as vagas são ruins ou regulares, enquanto apenas 3% avaliam como ótimas.

Essa questão fica ainda mais evidente quando 81% dos profissionais de RH respondem que as empresas contratam pessoas com deficiência apenas para cumprir a Lei de Cotas.

“Fala-se muito da lei de cotas, mas pouco do impacto para a pessoa com deficiência e para os responsáveis por selecionar estas pessoas nas empresas. Desta forma, esperamos que esses resultados possam nortear candidatos e recrutadores”, observa o head de Pesquisa e Estratégia da Catho, Luís Testa.

Em 1991 foi criada a Lei de Cotas (nº 8.213) que estabeleceu um percentual mínimo de trabalhadores com deficiência nas empresas com 100 ou mais funcionários. Desde então empresas vêm tentando se adequar à lei. Porém, o cenário real desse processo de inclusão ainda não havia sido revelado. Então, em maio de 2014 a Catho, em parceria com a iSocial, consultoria especializada em recolocação de pessoas com deficiência no mercado de trabalho, lança a primeira versão da pesquisa “Profissionais de recursos humanos – expectativas e percepções sobre a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho”.

A pesquisa foi feita com 2.949 profissionais de RH, em sua maioria mulheres, sendo que apenas 35% dos entrevistados possuem bom conhecimento sobre a Lei de Cotas, embora 45% possuam pós-graduação completa ou cursando. Quase metade dos profissionais de RH já entrevistaram pessoas com deficiência, o que mostra que boa parte dos respondentes já passou por essa experiência em algum momento.

No mercado desde 1996, a Catho tem expertise em pesquisas com candidatos e profissionais de Recursos Humanos. Há hoje no portfólio da companhia três pesquisas periódicas que retratam o mercado brasileiro: Pesquisa dos Profissionais (que traça um panorama anual do recrutamento, carreira e seus desdobramentos), Pesquisa Salarial (que trimestralmente aponta os cargos melhor remunerados do país) e Indicadores Catho-Fipe (que antecipam a taxa de desemprego).

Origem: Portal Correio (19/08/2014).

Fonte: Informativo ABRH-RJ (25/08/2014).

Acesso em http://clipping.cservice.com.br/cliente/visualizarmateria.aspx?materiaId=21325430&canalId=157250&clienteId=wsemC6pbq4Q=&end

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s